Bem Substituto e Bem Complementar

Bem substituto

é o nome dado na Economia a um bem que possa ser consumido em substituição a outro. Por exemplo, margarina e manteiga são em geral consideradas bens substitutos, uma vez que exercem basicamente a mesma função.

É raro encontrar bens que sejam substitutos perfeitos, os quais o consumidor aceita substituir, um pelo outro, a uma taxa constante; em outras palavras, o consumidor é indiferente ao escolher entre bens substitutos perfeitos. Na prática, diferenças de funcionalidade e fatores subjetivos afetam o quanto um bem pode ser substituído por outro.

Bens complementares são o oposto de bens substitutos.

Bem complementar

Um bem complementar é um bem que deve ser consumido com outro bem. Isto significa que, se os bens A e B forem complementares, um aumento no consumo do bem A resulta num aumento do consumo do bem B. A Um exemplo de bens complementares é o do pão com o fiambre. Se o preço do fiambre baixar, para além de haver um aumento da quantidade consumida de fiambre, também haverá um aumento da quantidade consumida de pão, uma vez que os dois são frequentemente oferecidos em conjunto.

Um bem complementar perfeito é um bem que tem de ser consumido em conjunto com outro bem. Muitos bens do mundo real exibem características próximas da complementaridade perfeita. Um exemplo seria o sapato esquerdo e o direito.

O grau de complementaridade não é necessariamente mútuo e pode ser avaliado pela Elasticidade preço da demanda cruzada. No caso de video-games, um video-game específico, o bem complementar, tem que ser consumido com um console de video-game, o bem base. A recíproca não é verdadeira: o console de video-game não necessita daquele video-game específico para funcionar.

O oposto de bem complementar é o bem substituto.

No marketing, bens complementares elevam o poder de mercado de uma empresa porque permitem fidelidade ao vendedor por aumentar o custo de troca. Alguns tipos de estratégias de preços existem para bens complementares e seus bens bases:

  • Preço do bem base a nível relativamente baixo em relação ao bem complementar – isso permite uma fácil inclusão de novos consumidores (ex.: impressoras vs. cartuchos de tinta)
  • Preço do bem base a nível relativamente alto em relação ao bem complementar – isso cria uma barreira para a entrada e saída de consumidores (ex.: taxas de clubes de golfe vs. taxas de campo)
Esse post foi publicado em ECONOMIA. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s